domingo, 18 de dezembro de 2016

mar interior ( poema )

mar interior
revolto
convulso
sem fundo

onde o balé das anêmonas?

a paz das barbatanas lentas ?
o véu de luz filtrada ?

mar interior
escuro

meu mundo .


Nenhum comentário:

Postar um comentário